Esta semana (14 a 20 de novembro) acontece nos Estados Unidos a Semana do uso racional do antibiótico, promovida pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC). Durante esta semana especialistas tentam chamar a atenção para o uso indiscriminado e inadequado do antibiótico para crianças. Mas por que isso é importante? Muitas crianças recebem antibióticos prescritos pelo seu pediatra ou após atendimento em emergências, mas nem sempre isso é necessário.

Algumas pesquisas mostram que em 30-50% dos casos o uso de antibiótico para crianças é desnecessário. Porque isso? Porque na criança a maioria das infecções é viral e infecções virais não devem e não precisam ser tratadas com antibióticos.

Não é a presença de febre que define a necessidade de antibióticos. Como já conversamos em outro post, os quadros virais também podem ser acompanhados de febre, e a febre das infecções virais podem durar até 72 horas. Infecções virais como gripe, resfriados, broquiolite, quadros diarréicos, e até mesmo grande parte de infecções de ouvido não são tratadas com antibióticos. Antibióticos são usados contra infecções bacterianas, e não virais.

O uso inadequado de antibióticos em infecções virais não irá curar a doença e também não irá fazer a criança se sentir melhor ou protegê-la de ficar doente. Ao contrário, o uso inadequado de antibióticos poderá causar efeitos colaterais desnecessários e criar resistência, ou seja, quando a criança realmente precisar de antibióticos para uma infecção bacterina pode ser que esse antibiótico não faça efeito e um antibiótico “mais forte” seja necessário.

Infecções virais devem ser tratadas apenas com medidas para alívio dos sintomas: analgésicos, repouso, hidratação, alimentação saudável, uso de soro fisiológico nas narinas, entre outras.

Muitas vezes papais e mamães ficam muito angustiados com o filhote doentinho e sempre que há febre pensamos que há necessidade de antibióticos. Mas, como puderam ver, isso em crianças nem sempre é verdadeiro! Então, nos quadros febris converse com seu pediatra: após avaliação ele poderá dizer se trata-se de uma infecção viral ou não e que medidas de alívio você deverá tomar. Também é muito importante prestar atenção aos sinais de alarme que possam acontecer durante a doença, indicando que a evolução não está dentro do esperado. Peça para que seu pediatra te oriente em relação a que sinais você deverá prestar atenção. Fiquem atentos e vamos usar antibiótico para crianças apenas quando isso for realmente necessário!

Entenda melhor sobre infecções virais em: http://calmamaezinha.com.br/afinal-o-que-e-uma-virose/