Estamos vivendo um surto de febre amarela silvestre no estado de Minas Gerais. Muita gente está em pânico,  porque muita informação está sendo noticiada e fica muita dúvida sobre a real magnitude deste surto de febre amarela. Já conversamos sobre o que é preocupante neste surto aqui, no entanto o Ministério da Saúde e os orgãos de vigilância epidemiológica atualizam os dados regularmente. Vamos ver então a última atualização sobre este surto de febre amarela.

A área do estado de Minas Gerais, onde o surto se iniciou, já era considerada área endêmica de febre amarela silvestre previamente, assim como outras diversas regiões do país. Dentro destas áreas endêmicas é sabido que o vírus da febre amarela pode ser encontrado em primatas como o macaco ou nos mosquitos do tipo haemagogus. Eventualmente, dentro destas regiões, uma pessoa não vacinada pode ser picada por um mosquito infectado e adquirir a febre amarela. Por conta disso, independente de surtos como o atual, a vacina de febre amarela é recomendada ao longo do ano todo, para os moradores destas regiões e para pessoas que irão viajar para estas regiões. Surtos da doença acontecem quando pessoas não vacinadas entram em contato com o vírus da febre amarela através de atividades florestais ou rurais.

O surto atual já apresenta 809 casos suspeitos de febre amarela,  sendo que destes, 651 casos permanecem em investigação e 127 casos foram confirmados. Do total de casos (809), 128 evoluíram para óbito, sendo que 47 destes óbitos foram confirmados para febre amarela. Estes números são atualizados até 31 de janeiro de 2017.

Todos os casos confirmados estão dentro da região sudeste do país. Dos 127 casos, 113 ocorreram no estado de Minas Gerais e 11 no Espírito Santo. 3 casos ocorreram no estado de São Paulo, sendo que 2 foram em pessoas que haviam viajado para Minas Gerais. O terceiro caso ocorreu na região de Ribeirão Preto. Vale destacar que a região de Ribeirão Preto já fazia parte da área endêmica de febre amarela previamente ao surto.

Na última recomendação do Ministério da Saúde, por segurança, para melhor controle dos casos, houve ampliação da recomendação da vacinação para algumas cidades. Algumas cidades do Rio de Janeiro, Espírito Santo e Bahia foram reclassificadas como “áreas com recomendação temporária para vacinação”. Estas cidades não pertenciam à área endêmica para a febre amarela e por isso não havia recomendação para vacinação. No surto atual estas cidades passaram a ter recomendação. Atenção: não há cidades com recomendação temporária dentro do estado de São Paulo, neste estado a recomendação mantém-se a mesma de antes. Veja aqui a recomendação para o estado de São Paulo.

O mapa mostra a região destas cidades com recomendação temporária (área pintada de azul). A lista completa das cidades está disponível nas unidades de saúde.

surto de febre amarela

Se você é morador destas regiões e ainda não foi vacinado procure uma unidade de vacinação. Caso vá viajar para estas regiões, vacine-se com pelo menos 10 dias de antecedência.

Atenção: não há motivo para vacinação sem indicação! Vacine-se e vacine seus filhos apenas se mora ou irá viajar para as regiões com recomendação para a vacina. A vacina não é isenta de efeitos colaterais e deve se aplicada apenas naqueles que realmente tem indicação. Veja aqui os efeitos colaterais que podem ocorrer.

Fique esperto! Converse com seu pediatra e veja se seu filho tem indicação para ser vacinado! Acompanhe nossas atualizações!😉😉