Seu filho leva um tombo e bate a boca, você logo trata de ajudá-lo a se levantar e dizer “Não foi nada! Já já passa…”. Mas, será que não foi nada mesmo?😱🤔

Traumas bucais e/ou dentários são muito comuns em crianças, principalmente na primeira Infância (0 a 3 anos), porque a criança está com a coordenação motora em desenvolvimento.  Além disso, essa é uma fase de aprender e explorar o ambiente.

As lesões traumáticas são preocupantes devido à proximidade do dente decíduo (dente de leite) com o germe do permanente, como podemos observar na figura ao lado.

Os dentes superiores anteriores são mais frequentemente afetados, quando a criança bate a boca. O trauma pode envolver desde uma fratura pequena no dente até uma avulsão,quando o dente sai por inteiro de seu lugar. Pode também, em alguns casos, comprometer a parte óssea.

Sendo assim, nossa atenção deve ser redobrada! Todas as vezes que ocorrer algum trauma, por mais simples que possa parecer, um odontopediatra deve ser informado. Esse profissional realizará todos os exames necessários para identificar possíveis alterações. Inclusive, por menor que seja o trauma, realizará uma radiografia para acompanhamento periódico do caso, porque alterações tardias são frequentes. Dentre essas alterações, as mais comuns são:

👉Alteração de cor: o dente pode se tornar mais escuro, com tonalidade avermelhada ou acinzentada. Isso porque os dentes decíduos também tem inervação e irrigação sanguínea, assim o trauma pode causar um rompimento desses vasos sanguíneos, o que causa a mudança de cor. Há casos em que a cor pode voltar à tonalidade natural, em outros é necessário tratamento reabilitador.

👉 Bolha de pus na gengiva: é o que chamamos de fístula, um sinal de que houve um comprometimento do canal do dente (os mesmos vasos e nervos que falamos no item anterior).

👉Retenção prolongada: o dente decíduo não cai para o permanente conseguir nascer. O dentinho continua firme em seu lugar!

👉Alteração no dente permanente: o trauma no dente decíduo pode atrapalhar o desenvolvimento do dente permanente. Nos casos menos graves, causar manchas no dente permanente, em outros casos, alterar o trajeto do dente permanente e/ou atrapalhar sua irrupção (nascimento dos dentes).

Para evitar mais danos e garantir o sucesso de qualquer tratamento realizado pelo odontopediatra depois de um trauma, é necessário que a criança faça uma dieta pastosa e morna, remova hábitos deletérios (como chupeta, mamadeira e dedo) e higienize muito bem a área do trauma.

🚩Sendo assim mãezinha, o que você deve fazer se seu filho  bate a boca?

✅Se for uma avulsão do dente de leite (dente saiu inteiro da boca): Não recoloque o dente no lugar! Procure a ajuda de um odontopediatra.

✅Se for uma avulsão de dente permanente: Pegue o dente pela coroa, lave-o em água corrente fria, e coloque imediatamente em seu lugar na boca. Lembre-se que a parte convexa do dente (aquela que vemos nas fotos) é sempre para frente. Caso não consiga reinserir o dente, coloque em um copo com leite ou mesmo na boca da criança, embaixo da língua. E corra para um odontopediatra, nesses casos, o tempo é nosso inimigo!

✅Em todos os outros tipos de trauma: a dica também é procurar um odontopediatra para que possa fazer toda a avaliação.

Como prevenir é sempre o melhor remédio…podemos prevenir os traumas bucais:👉Nos esportes: com o incentivo do uso de protetores bucais!

👉No trânsito, na escola e em casa:vale a pena visitar esses dois sites www.criancasegura.org.br e www.playgroundsafety.org

Comments

comments