É muito comum observarmos o consumo precoce de açúcar pela criança. Este é um hábito culturalmente estabelecido há muito tempo nas famílias. Há a tendência de se oferecer alimentos doces para a criança porque isso, na concepção dos pais, parece satisfazer melhor o paladar e as necessidades nutritivas da criança. Acrescenta-se açúcar no leite, nas frutas, nos sucos, nos chás… Além disso, ofertamos muitos açúcares para as crianças “mascarados” em alimentos ultraprocessados como sucos industrializados, refrigerantes, temperos e refeições prontas e nas famosas “besteiras”: bolachas, salgadinhos, doces, chocolates etc.

O consumo excessivo de açúcar pela criança leva a um risco elevado de obesidade no futuro, com complicações como diabetes e hipertensão arterial. Além disso, o açúcar não aumenta o valor nutritivo do alimento e ainda aumenta a chance da criança desenvolver cáries.

Desta forma a Organização mundial de Saúde desde 2015 vem recomendando fortemente a redução do consumo de açúcares tanto pelo adulto quanto pela criança. As recomendações passaram a ser as seguintes:

📌 Até dois anos não deve ser ofertado a criança nenhum tipo de açúcar de adição, o que inclui os açúcares adicionados aos alimentos e bebidas, assim como os açúcares naturalmente presentes no mel, xaropes de milho, sucos de frutas naturais e concentrados de frutas

📌 Após os dois anos e até a vida adulta o consumo de açúcar deve ser limitado a 10% da ingesta calórica diária. A necessidade calórica depende da idade e do peso da criança. Converse com seu pediatra para saber qual é a necessidade do seu filho

O açúcar naturalmente presente em frutas, legumes, verduras e no leite não deve ser considerado na restrição para crianças.

É muito difícil mudarmos hábitos que estão tão fortemente arraigados na nossa cultura, mas precisamos nos policiar e estar atentos pois esses excessos de agora podem trazer consequências desastrosas no futuro. Uma mudança radical de hábitos pode ser muito difícil, mas que tal começar aos poucos? Se começarmos nos conscientizando desta necessidade e aos poucos formos mudando os hábitos da nossa família estaremos caminhando na direção correta para um futuro mais saudável para nossas crianças.🏃🏼➡☺

👉 Leia também sobre o consumo de sal na infância: http://calmamaezinha.com.br/quantidade-sal-na-dieta-das-criancas/