O verão está chegando e com ele as chuvas e …. o terror da dengue! 😵 As chuvas e altas temperaturas do nosso verão são tudo que o mosquito da dengue precisa para se proliferar. Tem sido registradas epidemias de dengue nos últimos anos e, claro, ela não poupa nossos pequenos! Com certeza isso deixa todos pais de cabelo em pé! 🙀🙀 Vamos ver então como se manifesta a dengue na criança e que cuidados devemos tomar!

A dengue é uma doença febril aguda causada por um vírus que é transmitido pelo mosquito Aedes Aegypti. É uma doença de fácil disseminação em países tropicais, onde as condições climáticas são favoráveis à proliferação do mosquito. Após ser picado por um mosquito contaminado a pessoa começa a manifestar sintomas num período de 3 a 15 dias , em média 5-6 dias

A dengue na criança pode se manifestar por diversas formas, desde assintomáticas (sem sintomas) até formas graves e fatais. A primeira manifestação em geral é febre , geralmente alta e de início abrupto, acompanhada de mal estar geral, dor no corpo, falta de apetite, dor na cabeça, dores nas articulações, dor atrás dos olhos. Podem ou não ocorrer sintomas como: diarréia, vômitos, e manchas no corpo.

Na criança, especialmente na criança pequena, sintomas como as dores pelo corpo e mal estar podem ser manifestados através de irritabilidade, choro, falta de apetite e adinamia.

Sendo assim, muitas vezes o diagnóstico preciso da dengue na criança, especialmente no início do quadro, torna-se difícil ao pediatra: grande parte das doenças virais na criança podem apresentar-se com febre associada a falta de apetite e irritabilidade. Desta forma, em áreas e épocas do ano com muita circulação do vírus o diagnóstico de dengue sempre deve ser considerado nestes casos.

O vermelhão no corpo pode aparecer no início ou no meio da evolução, ou pode estar ausente. Quando presente, pode ou não apresentar coceira.

Nas forma mais graves da dengue os sintomas iniciais são os mesmo, no entanto, por volta do terceiro ao sétimo dias da doença, começam a aparecer sintomas como: vômitos persistentes, falta de ar, aumento do volume abdominal, queda da pressão ou sangramentos intensos.

Importante lembrar que sangramentos leves, como sangramentos nasais ou da gengiva por exemplo, são sinais de alerta para maior monitorização do quadro, mas apenas isso não caracteriza a dengue como dengue grave.

Ainda não se sabe o que leva alguns indivíduos a manifestarem a forma mais grave da doença, daí a importância da monitorização e acompanhamento dos sintomas.

O seu pediatra, ao suspeitar de dengue, irá solicitar um exame de sangue chamado hemograma. O hemograma não é um exame específico para dengue. Através dele o médico consegue avaliar as células do sangue e dizer se há alterações sugestivas de dengue. Na dengue podem ou não ocorrer alteração nestas células, portanto, o hemograma nos dá uma idéia da possibilidade do diagnóstico. No entanto, se o hemograma estiver normal o diagnóstico de dengue não está afastado. Quando alterado, faz-se necessário a coleta seriada do exame até normalização.

Após o quinto dia de sintomas o diagnóstico poderá ser confirmado pela coleta de sorologia, que mostra se houve ou não infecção pelo vírus da dengue.

Assim, como o diagnóstico pode ser difícil no início do quadro e o diagnóstico de certeza pela sorologia só poderá ser feito depois do quinto dia dos sintomas, o tratamento precoce dos sintomas é muito importante. A base do tratamento é a hidratação. Se a criança está com boa aceitação da dieta e sem muitos vômitos, a hidratação deverá ser feita pelos cuidadores. Pode ser usado água, água de coco, suco natural ou até o soro de reidratação oral. O importante é manter boa ingesta de líquidos e boa hidratação. Quando isto não é possível, pode ser necessário hidratação endovenosa, de acordo com a avaliação do pediatra.

Além da hidratação, são usados medicamentos para aliviar os sintomas, como por exemplo remédio para dor e febre. Não há tratamento específico para a dengue na criança. Durante a evolução da doença, deve-se ficar atento a sinais de alerta como sangramentos, falta de ar, dores intensas, vômitos persitentes e procurar o médico imediatamente nestas situações. Lembre-se: a febre da dengue pode durar até 7 dias.

Assim , com o verão chegando vamos ficar atentos! Veja no post Dicas para o combate ao mosquito da dengue as medidas de prevenção, que são importantíssimas. Tomando todos os cuidados seu filhote poderá curtir o verão com muita saúde! 👶😉😊

Veja também http://www.saude.sp.gov.br/cve-centro-de-vigilancia-epidemiologica-prof.-alexandre-vranjac/homepage/acesso-rapido/guia-de-vigilancia-epidemiologica-do-cve