“Talvez o resultado mais precioso de toda a educação seja a capacidade para forçar-se a fazer o que precisa ser feito, quando deve ser feito, quer você goste ou não.” Thomas Huxley

👫Ser pai e mãe é uma missão divina, desafiadora, apaixonante e até mesmo enlouquecedora! 🙃 Somos responsáveis por seres em formação e pela educação deles no sentido mais amplo de todos. Em casa transmitimos valores, cultura, hábitos e crenças a nossos filhos e juntos buscamos sempre pela evolução e independência deles.  Educar não é uma tarefa fácil, não é mesmo?

Recentemente li outro livro da Tracy Hogg (Mais Segredos da Encantadora de Bebês – para crianças de 1 a 3 anos. Editora Manole) em que ela aborda 12 “ingredientes” para a DISCIPLINA CONSCIENTE.Os 12 ingredientes da Disciplina consciente

A ideia é transmitir segurança (e coerência) para que as crianças aprendam a fazer boas escolhas, sejam responsáveis, pensem por si e ajam de forma socialmente aceitável. Vejam abaixo esses ingredientes:

  1. Conheça os seus próprios limites – e defina as regras. 🤔Cada um tem seus próprios limites e devemos respeitá-los. Fazer refeições no sofá vendo TV  pode ser um hábito para algumas famílias mas pode ser inaceitável para outras.  Seja qual for a sua postura e a regra da sua casa ela deverá ser válida para TODOS. Se na casa da vovó a regra for outra não crie uma batalha: reforce que essas são as regras da vovó. As crianças conseguem entender essas diferenças, principalmente se explicadas e REFORÇADAS 😂 sempre que necessário.
  2. Olhe para o seu próprio comportamento para ver o que está ensinando ao seu filho. Isso não tem discussão, não é mesmo? Cobrar educação e respeito de nossos filhos e não sermos exemplo não faz sentido nenhum!
  3. Escute a si mesmo para garantir que você está no comando – e não seu filho. Quem dita as regras são os pais. Hora de sair? Tem que se trocar? Você deve mostrar que aquela é a hora. Seu filho pode logicamente escolher a cor da camisa ou o sapato que vai usar,  porém ele tem que entender que aquela não é a hora de brincar na sala por exemplo.
  4. Sempre que possível, planeje com antecedência e evite ambientes ou circunstâncias difíceis para as crianças. Sabe aquela história de não levar um elefante numa loja de cristais? Ou de não ir ao supermercado com fome? Tudo isso vai depender do tipo de ambiente e da personalidade do seu filho. Para situações de viagem, passeios, ou locais em que necessitará que a criança fique por tempo além do habitual parada ou que a tire muito da rotina procure prepará-la explicando o motivo de estarem ali.
  5. Veja a situação através dos olhos do seu filho. Observe que o comportamento dele pode parecer “destrutivo”aos olhos de uma pessoa porém pode ser APENAS decorrente de falta de coordenação motora para desviar de alguns objetos, ou de tentar pega-los. Devemos incentiva-los a aprimorar suas qualidades e a vencer esses obstáculos.
  6. Escolha suas batalhas. Educar e dar limites é uma tarefa bastante cansativa😅 e em alguns momentos somada ao cansaço das crianças pode se tornar um caos sem fim. Sabe quando a criança dá sinais de cansaço mas precisa guardar os brinquedos antes de dormir? O que você faz? Uma sugestão é ajudar no processo para reduzir o tempo da tarefa porém solicitar que ela guarde algo para mostrar que é responsabilidade dela aquilo.
  7. Ofereça opções de final fechado. Essa é uma das mais interessantes na minha opinião. Pra evitar as repostas negativas a saída é dar opções já relacionadas ao fato. Por exemplo: “Se você não consegue largar o brinquedo do seu amigo eu posso ajudá-lo” (ao invés de solte o brinquedo do seu amiguinho agora!) ou “Após o banho vamos colocar esse pijama azul ou o vermelho?”.
  8. Não tenha medo de dizer NÃO. Isso realmente faz parte do desenvolvimento. Temos que ensinar nossos filhos a lidarem também com as frustrações. E depois conversar sobre esses sentimentos. “Entendi que você ficou chateada, mas realmente agora NÃO é hora de fazermos isso….”
  9. Corte o comportamento indesejável pela raiz. 😤Tente cortá-lo antes ou intervir enquanto estiver acontecendo o comportamento inadequado mostrando que isso não é aceitável.  É importante ajudar as crianças a identificarem o que estão sentindo quando se comportam mal, porém cansaço, falta de soneca ou seja lá o que for não podem servir de desculpas para bater ou morder por exemplo.  Devemos ensinar as crianças a identificar e a lidar com essas emoções.
  10. Elogie o bom comportamento e corrija ou ignore o ruim. Elogiar os bons comportamentos 👏é muito importante e eficaz! As crianças gostam muito de agradar os pais e se sentem felizes  quando fazem algo que mereça atenção e elogios!💖
  11. Não recorra a punições corporais. 🚫O castigo físico é uma “solução” de curto prazo que  NÃO ENSINA NADA DE POSITIVO. Isso só mostra aos nossos filhos que nós batemos quando estamos frustrados ou quando perdemos o controle. Abre feridas emocionais enormes e ainda cria abismos entre as pessoas💔.
  12. Lembre-se de que ceder não equivale a amar. A disciplina consciente é sobre o ensino e não a punição. Se você ensinar seu filho que cooperar é divertido e que é bom se comportar bem ele será um grande parceiro, saberá seus limites e saberá se controlar.

Tudo isso exige prática, tentativas e erros (eu mesma ontem lancei a pergunta: vamos tomar banho??? E levei um NÃO bem sonoro na hora!😂). As regras nos deixam mais confortáveis: os pais porque fazem o que acreditam ser melhor e as crianças se sentem mais seguras.

As crianças precisam conhecer os limites e respeitar seus pais, cuidadores e as regras de onde estiverem. Isso com certeza os ajudará a serem adultos melhores.😉

Comments

comments