Muitas cidades do estado de Minas Gerais encontram-se em estado de alerta para Febre Amarela: muitos casos suspeitos foram notificados e algumas mortes já confirmadas.😵 A febre amarela é uma doença causada por um vírus que é transmitido para o homem através da picada de insetos. No meio silvestre (florestas e ambientes rurais) o mosquito é o  do tipo Haemagogus e no meio urbano o principal vetor é o Aedes Aegypti.

Desde 1942 não são notificados no Brasil casos urbanos de febre amarela. Os casos notificados são de origem silvestre, ou seja, indivíduos que estiveram em áreas rurais ou florestais 🌳 e foram picados pelo mosquito  Haemagogus infectado pelo vírus. No meio rural e nas florestas o mosquito Haemagogus se infecta ao picar macacos infectados com o vírus.

O último surto de febre amarela silvestre foi registrado entre 2008 e 2009, quando 51 casos foram confirmados. Os surtos ocorrem em ocasiões em que o homem tem mais contato com o meio silvestre, seja devido a atividades rurais, exploração de áreas florestais ou até pelo ecoturismo.

O grande medo é que a febre amarela adquirida no ambiente silvestre volte a infectar o mosquito Aedes Aegytpi, que, como bem sabemos, estão presentes em grande escala na maioria das cidades brasileiras. O Aedes é também responsável pela transmissão do vírus da dengue, do Zika vírus e do vírus da doença de Chikungunya.

Ainda não se sabe como isso ainda não aconteceu, uma vez que a circulação de pessoas no nosso país é ampla e irrestrita e o mosquito Aedes é encontrado facilmente em todo país. Parece mesmo que estamos em cima de uma bomba relógio! E é isso que assusta: se o Aedes voltar a transmitir o vírus da febre amarela as consequências podem ser incalculáveis.

A febre amarela é caracterizada por febre, mal estar, dores pelo corpo e na cabeça, náuseas e vômitos. Os casos mais graves podem apresentar sangramentos e falência dos rins e do fígado. Os casos graves são frequentemente fatais. Se novos surtos de febre amarela urbana surgirem teremos um grande problema de saúde pública, ainda maior e pior que a dengue ou o zika vírus.

A doença pode ser prevenida com a vacina para febre amarela. A vacina pode ser administrada a partir de 9 meses de idade. Deve ser aplicada em moradores de áreas endêmicas (áreas de maior risco para adquirir a forma silvestre da doença) ou em pessoas que irão viajar para estas regiões, pelo menos 10 dias antes da viagem.

Até o momento, os casos são provenientes de regiões que já eram consideradas áreas endêmicas para febre amarela silvestre, portanto não há alerta para novas regiões e não são casos de febre amarela urbana. A orientação quanto a vacinação, portanto, mantem-se a mesma de antes: moradores de áreas endêmicas apenas e pessoas que irão viajar para estas regiões. Veja abaixo as áreas consideradas endêmicas pelo Ministério da saúde.

febre amarela

 

Fiquem atentos se seus filhos devem receber a vacina! Nunca é demais lembrar da importância do combate ao mosquito Aedes Aegypti- veja aqui

Se você esteve em áreas endêmicas e seu filho apresentar os sintomas da febre amarela, converse com seu pediatra imediatamente! 😉