“Meu bebê está com tosse!” Nossa, quantas vezes escuto isso durante meu dia de trabalho! E quanto isso angustia e preocupa as mamães e os papais! Mas não é por menos, né? Com tanta coisa assustadora aparecendo na TV e na internet, não tem como não ficarmos de cabelo em pé! Mas calma! Nem tudo é um bicho de sete cabeças! Vamos esclarecer algumas coisas importantes aqui sobre gripe na criança.

A gripe é uma doença viral causada pelo vírus Influenza. É uma doença geralmente de evolução benigna e autolimitada. Caracteriza-se por início abrupto de sintomas respiratórios como tosse, coriza e dor de garganta, acompanhados de mal estar geral, febre, dor no corpo, dor de cabeça e falta de apetite. Podem também acontecer outros sintomas como vômitos, diarréia , dor abdominal e conjutivite.

Existem 3 tipos de vírus Influenza: A, B e C. Os tipos A e B são os responsáveis pelas epidemias, enquanto o C causa sintomas mais leves. Dentro do tipo A, existem alguns subtipos, dentre eles o influenza A H1N1 e A H3N2, que estão em circulação no Brasil. Como os vírus podem apresentar mutações com o decorrer do tempo, é possível que no decorrer da vida uma pessoa possa ser infectada várias vezes. Pelo mesmo motivo a cada ano temos vacinas diferentes: para atingir os tipos de vírus que estão em circulação.

Ao contrário das gripes, os resfriados comuns são quadros mais leves, caracterizados por sintomas respiratórios como tosse, coriza e dor de garganta. Pode ou não haver febre, mas em geral o mal estar geral e as dores pelo corpo são mais brandos. Os resfriados também são quadros virais, mas causados por outros tipos de vírus, como o rinovírus ou adenovírus.

Na prática a distinção entre os dois quadros pode ser difícil. No entanto, o que mais importa é conseguirmos identificar os quadros mais graves de gripe na criança, pois são estes que necessitam de maior atenção.

A maioria dos casos de Influenza são quadros benignos e autolimitados, ou seja, melhoram sozinhos após 3-7 dias. Entretanto uma pequena parcela pode evoluir para o que é chamado de “síndrome respiratória aguda grave (SRAG)”. Crianças menores de 2 anos, idosos, gestantes ou qualquer pessoa portadora de doenças crônicas como asma/bronquite, doenças cardíacas, diabetes, entre outras, estão mais sujeitas a ter esta forma mais grave da gripe.

A SRAG deve ser suspeitada nos casos de gripe que a criança apresentar, além dos sintomas já falados, também falta de ar, queda na oxigenação do sangue ou piora de alguma doença preexistente (como doenças cardíacas, asma por exemplo). Não temos como identificar os casos que irão evoluir para essa forma da gripe, estes sintomas podem aparecer no início ou no meio da doença e isso é imprevisível. Por isso, é muito importante que os pais e cuidadores fiquem atentos a sintomas como dificuldade para respirar, respiração acelerada, palidez, lábios arroxeados, e procurar assistência médica imediata nestes casos.

Tanto os quadros leves de gripe na criança quanto os resfriados são tratados da mesma maneira: uso de antitérmicos, lavagem das narinas com soro fisiológico, hidratação via oral e outros sintomáticos a critério do pediatra. A febre das gripes e resfriados podem durar até 72horas e é esperado que recorra várias vezes neste intervalo de tempo. Após 72 horas se a febre persistir a criança deverá ser avaliada pelo pediatra. Durante toda a evolução da doença se forem observados sintomas de falta de ar a avaliação médica também torna-se obrigatória.

É isso aí! Tomando esses cuidados seus pequenos logo estarão bem novamente e fazendo bastante bagunça em casa! 😊😉

Leia também: http://calmamaezinha.com.br/vacina-da-gripe-para-criancas/