Com tanta notícia na mídia não é de se esperar outra coisa: muita gente em dúvida se deve ou não tomar a vacina contra febre amarela. O estado de Minas Gerais está em alerta para um surto de febre amarela silvestre, com vários casos notificados e alguns óbitos já confirmados até o momento.

Surtos semelhantes a esse já aconteceram em outros anos, o último entre 2008 e 2009. A vigilância epidemiológica alerta que surtos dentro das áreas endêmicas são cíclicos, e costumam recorrer a cada 7 anos aproximadamente. Estes surtos acontecem em épocas que pessoas que não foram imunizadas previamente entram em maior contato com áreas rurais ou florestais por conta de atividades agrícolas, exploração florestal ou ecoturismo.

Durante os surtos as medidas preventivas devem ser reforçadas, sendo uma das principais a vacinação. A vacina contra febre amarela está indicada para todos moradores de áreas endêmicas e para aqueles que irão viajar para estas regiões. Para viajantes a vacina deve realizada 10 dias antes da viagem.

Em outro post já falamos sobre a vacina da febre amarela para as crianças. Mas como as mamães sempre estão alertas para os cuidados da saúde da família toda, achei importante ressaltar a vacinação também para adultos.

Para os adultos a vacina contra febre amarela está indicada para indivíduos de até 60 anos. Vejam as contraindicações:

👉  Pacientes com imunossupressão de qualquer natureza: doenças que comprometam a imunidade (como HIV grave ou imunodeficiências primárias), transplantados e pacientes em uso de medicamentos imunossupressores (corticóidess, imunomoduladores, quimioterapia entre outros)

👉 Indivíduos com neoplasias

👉 Pacientes que apresentaram reação grave a dose prévia de vacina de febre amarela

👉 Gestantes: deverão ser vacinadas apenas aquelas que residem em cidades dentro da área endêmica que já tiveram casos notificados durante o surto

👉 Mulheres que estão amamentando: assim como as gestantes, deverão ser vacinadas apenas as que residem em locais onde já foi confirmada a circulação do vírus. A mamãe que está amamentando, quando vacinada pode passar para o bebê, através do leite materno, o vírus vacinal. O vírus vacinal é um vírus inativado, que é responsável por estimular a produção de anticorpos contra a doença. Para bebês menores de 6 meses o risco de reação adversa com esse vírus inativado é maior. Mamães amamentando bebês menores de 6 meses devem, por conta disso,  considerar ordenhar leite para armazenamento antes de serem vacinadas. Utilizar o leite ordenhado por pelo menos 15 dias após a vacinação, se possível por 28 dias.

A vacinação é feita com uma dose da vacina e um reforço após 10 anos. Pessoas que já receberam duas doses da vacina já são consideradas imunizadas e não precisam ser vacinadas.

A vacina da febre amarela, como qualquer vacina, pode levar a efeitos adversos. Sintomas leves como dor e vermelhão no local da picada podem acontecer em cerca de 2-4% doso casos. Reações como febre, mal estar, dor de cabeça e no corpo ocorrem em menos de 4% dos casos. As reações mais graves com manifestações mais graves como sintomas neurológicos, icterícia, sangramentos, são bem raras, notificadas em 0,04-0,2 casos a cada 100.000 vacinados.

Por ser, então, uma vacina segura e considerando a potencial gravidade da febre amarela, a vacina é muito importante na proteção da família. Leia aqui sobre o que é preocupante em relação a febre amarela.

Veja a lista das cidades em que a vacina da febre amarela é recomendada:

http://portalsaude.saude.gov.br/images/pdf/2015/novembro/19/Lista-de-Municipios-ACRV-Febre-Amarela-Set-2015.pdf

Se você mora ou vai viajar para alguma dessas cidades listadas fique atento e vacine-se! 😉😉